quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Espetáculo narra história dos amores e desamores de um Drag Queen

Foto: Taveira Junior
A obra narra de maneira lúdica a trajetória de uma Drag desde sua infância até a fase adulta, trazendo a cena um panorama das noites GLBT das grandes metrópoles. Temas como violência e soropositividade, prostituição e drogas, amor e trabalho, são abordados de forma poética no texto de Samuel Santos. Mas o destaque fica por conta do embate da relação entre a protagonista e a família.

Em cena o ator Emanuel David D´Lucard, se reversa entra dos dramas e as peripécias de Riso, hora dublando musicas que ilustram suas histórias, com muita galhofa e riso, hora numa conversa ao PE do ouvido da platéia.
É uma obra para rir e se emocionar é sair do espaço com outra perspectiva sobre a vida desses artistas que usam do alegórico para esconder suas dores e alegrar seus clientes e fãs.

RisoFlora - A História de uma Drag Queen
Espaço O Poste
Rua da Aurora, 529, em frente ao rio Capibaribe

Todas as sextas de outubro às 20h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10

Fichário, de Iza do Amparo, em mostra no Murillo La Greca



Fotos: Diego Di Niglio 


Exposição resgata a evolução do trabalho da artista desde a década de 70 até os dias atuais



Ela é conhecida por suas composições geográficas em superfícies como tecidos, carimbos e adesivos, além de suas telas sempre com um quê de “arte inacabada”. O que pouca gente sabe é que esse trabalho começou com fichas de romaneio (procedimento utilizado entre matrizes e filiais para a transferência de insumos, mercadorias ou produtos que constam em estoque), nas quais Iza do Amparo iniciou seus testes embrionários de disposição de cores. E é para resgatar a história desta artista que esse material vai estar disponível à apreciação dos admiradores na exposição Fichário – Exposição Individual de Iza do Amparo, que será aberta neste sábado, dia 4 de outubro, a partir das 16h, no Museu Murillo La Greca, no bairro do Parnamirim, no Recife.



A mostra traz uma retrospectiva das obras da artista, nascida na Bahia e radicada em Pernambuco, e que foram produzidas nas últimas três décadas. O público será convidado a navegar numa linha do tempo, onde poderá ser observado o desenvolvimento da técnica que tornou Iza do Amparo um dos nomes mais conhecidos das artes plásticas no Estado. A exposição ficará aberta à visitação pública no período de 7 de outubro a 9 de novembro, de terça à domingo.


Fichário traz 85 intervenções gráficas feitas pela artista em fichas de romaneio, disponíveis para apreciação. Nesse trabalho, a então estudante de arquitetura na Bahia, Maria Luiza, realizou intervenções de composição de pintura utilizando lápis hidrocor e tintas para montar os desenhos geométricos. A proposta de apresentar essas peças é fazer o público perceber a relação do trabalho iniciado com os fichários ainda na década de 70, e o que é desenvolvido hoje por Iza do Amparo.



Além dos fichários, serão expostos 10 quadros pintados em tela, além de documentos pessoais de Iza do Amparo, e textos de críticos e artistas sobre a sua obra. O público vai poder manusear dois livros: o primeiro, com 15 telas produzidas pela artista e não emolduradas, e o segundo, com um mostruário de carimbos. Outro atrativo será um mural imantado, onde o visitante da exposição vai poder exercitar sua criatividade, desenvolvendo composições dentro de uma grande ficha, com ímãs coloridos.



E para quem quiser levar um pedacinho do trabalho de Iza do Amparo para casa, estarão à disposição do público, durante a exposição, seis sugestões de adesivos, baseados em telas criadas pela artista, que podem ser fixados em qualquer superfície.


Serviço

Fichário – Exposição Individual de Iza do Amparo

Abertura: 04 de outubro (sábado), das 16h às18h 

Visitação: 07 de outubro a 09 de novembro de 2014

De terça a sexta, das 9h às 12h e de 14h às17h; sábados e domingos, das 13h às 17h

Museu Murillo La Greca, Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, nº 366, Parnamirim, Recife

Informações: 3355.3126 |3355.3128

MAMAM recebe Projeto Escutando o Olhar e oferece oficinas de fotografiaFoto

Foto: Connie Imboden
 Os sábados de outubro serão destinados à fotografia no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães – MAMAM, no bairro da Boa Vista. O projeto Escutando o Olhar – jornadas pedagógicas com Maria Salgueiro oferece quatro oficinas de fotografia para quem tem interesse em aprimorar o seu olhar acerca do mundo. 

As quatro jornadas pedagógicas do projeto Escutando o Olhar têm como objetivo introduzir e aproximar, com bases teóricas e práticas, os educadores e pessoas interessadas na fotografia desenvolvida nos séculos XX e XXI. Os encontros não serão voltados para aspectos técnicos, mas sim, à poesia visual, reconhecendo artistas que usam a fotografia e a poesia para se expressar e para viver. Todos os encontros têm em comum: a fotografia como meio de expressão visual, a poesia como necessidade vital do homem e o corpo como meio de comunicação externo e interno com o mundo.

A intenção da facilitadora Maria Salgueiro é incentivar a criatividade, facilitar o entendimento das temáticas e dar referências fotográficas aos participantes formando multiplicadores de conhecimento nesta área. Para isto, a fotógrafa dividiu o projeto em quatro temas: Abstração, Sombra e Luz (dia 04 de outubro), Corpo Poético (dia 11 de outubro), Foto Histórias (dia 18 anos) e, Os outros Eus nos autorretratos (dia 25 de outubro). 

Projeto Escutando o Olhar – Oficinas de Fotografia
Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães – MAMAM
Rua da Aurora, 265, Boa Vista
4 a 25 sempre aos sábados
14h às 18h
Inscrições pelo e-mail: juliana@mamam.art.br
Valor: R$ 40,00 (para uma oficina) R$ 100,00 (para as quatro oficinas)
Informações: 3355.6870/6871/6872


Juvenil Silva lança “Super Qualquer no meio de lugar nenhum”


Foto: Nelson Garrido



Juvenil Silva lança “Super Qualquer no meio de lugar nenhum”
Show de lançamento do 2º álbum solo do músico acontece no próximo dia 03 de outubro no Teatro de Santa Isabel


Depois da repercussão alcançada com o seu primeiro disco solo, Desapego”, o músico, cantor e compositor recifense Juvenil Silva apresenta ao público o seu segundo álbum, o aguardado “Super Qualquer no meio de lugar nenhum”.  O show de lançamento do novo CD será no dia 3 de outubro (sexta), no Teatro de Santa Isabel (Santo Antônio), a partir das 20h. A apresentação será recheada de convidados: Juliano Holanda, Isaar, Claudio N, Aninha Martins, Leo Vila Nova, Márcio Oliveira, Arthur Soares e Rachel Bourbon formam o time de participações especiais no show. A partir do dia 23 de setembro, o novo disco de Juvenil já estará disponível, virtualmente, no soundcloud do músico (www.soundcloud.com/juvenilsilva). Os ingressos para o show custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia entrada) e já estão à venda no site Eventick (http://www.eventick.com.br/show-de-lancamento-do-disco).  O público poderá retirar seus ingressos a partir do dia 26 de outubro, na bilheteria do teatro.



“Super Qualquer no meio de lugar nenhum” traz 12 faixas e um conceito bem amarrado pela cabeça irrequieta de Juvenil. O álbum tem como inspiração o clássico "Ulisses", de Jaymes Joyce, e vai além: pretende contar a história de um cidadão comum e todas as agruras cotidianas que ele sofre ao longo de um dia. "Foi algo que alucinei... Fui montando o repertório como se fosse a trilha sonora de um filme imaginado, que se passa em um dia de folga qualquer na vida de um rapaz de interior, radicado na capital, e que trabalha de domingo à domingo. Nesse dia, exatamente, ele segue na mesma aventura rotineira de sempre, que é correr atrás de salvar aquilo que lhe interessa: seu próprio dia, seu humor e bem estar momentâneo", explica Juvenil. Neste álbum, ele turbina ainda mais a sua já natural sonoridade roqueira. Em "Super Qualquer... " as músicas passeiam pelo folk, psicodelia, funk,  ciranda, "mas é tudo rock mesmo. Pra mim, rock é a maneira de fazer... a maneira como eu faço", conta.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Nando Cordel show intimista em casa noturna

Foto: Divulgação
Nando Cordel será a grande atração do Manhattan Café Theatro abrindo os shows do mês de outubro em única apresentação.  O cantor que ao todo tem 25  anos de carreira, promete um repertório diversificado, já que não tem repertório pré-definido abrindo espaço para que  o público peça as músicas. 
São  28 CDs lançados ao longo da carreira e um DVD. Suas músicas já foram  gravadas por grandes nomes da música brasileira como Maria Bethânia, Elba Ramalho, Fafá de Belém, Ivete Sangalo, Chico Buarque, Zizi Possi, , Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Martinho da Vila, entre outros. 
Manhattan Café Theatro
Rua Francisco da Cunha, 881, Boa Viagem

3  21h
A partir de R$ 120
www.manhattancafetheatro.com.br
3325-3372

Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns oferece oficinas gratuitas para a criançada

Estão abertas as inscrições para as oficinas de literatura de cordel, de leitura imagética e de ilustração, que serão oferecidas às crianças durante o Festival de Literatura Infantil de Garanhuns (Filig), que acontece de nove a 12 de outubro. Todas as oficinas serão realizadas, nos dias 10, 11 e 12 de outubro, no Sesc Garanhuns. As inscrições para as oficinas  devem ser feitas no site: http://filigfestival.com.br/.

A oficina de Literatura de Cordel, que vai trabalhar os versos rimados, é voltada para crianças de 10 a 12 anos, que já sabem ler e produzir textos. Os mais novos, a partir dos 6 anos, podem aprender a trabalhar técnicas de ilustração e desenho livre com o ilustrador recifense Braga Câmara. As crianças, acima dos 8 anos podem participar da Oficina de Leitura Imagética, para criar textos não verbais, a partir de técnicas como a colagem.



segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Cinema São Luiz sedia Mostra Play The Movie

Foto: Divulgação
O Cinema São Luiz recebe a oitava edição da Mostra Play the Movie, evento que é dedicado à exibição de obras audiovisuais que mostram mais estreitamente as ligações entre música e cinema apresenta nesta edição mais de doze títulos, entre produções nacionais e internacionais. 

Os longas passeiam por diversos mundos musicais, começando no universo da música erudita, com um documentário sobre Glenn Gould e encerrando-se com as histórias dos compositores de samba dos morros cariocas em "Onde a Coruja Dorme". Na programação estão ainda filmes inéditos em exibição no Recife como "Guitarra Baiana: A Voz do Carnaval", do diretor Daniel Talento, e o documentário "Música Serve Pra Isso - Uma História dos Mulheres Negras", de Bel Bechara e Sandro Serpa, que vai contar com a presença do músico paulistano Maurício Pereira, que fazia parte do grupo ao lado de André Abujamra. 

Nesta edição  a Mostra homenageia Helder Aragão, o DJ Dolores, por seus trabalhos na composição de trilhas para diversas produções audiovisuais ao longo dos anos. Suas criações para cinema renderam a coletânea "Banda Sonora - Música para Filmes", incluindo faixas premiadas de filmes como "Narradores de Javé", “O Som ao Redor” e "Tatuagem".

Ao final das sessões de filmes haverá cine-concertos contando bandas tocando ao vivo simultaneamente a imagens na tela. As duas primeiras noites contam com as apresentações das bandas Rua e The Trumps. A Rua tocará suas músicas diante do filme espanhol Finisterrae, de Sergio Caballero, enquanto a The Trumps vai sonorizar o clássico do terror brasileiro "À meia-noite levarei a sua alma", de José Mojica Marins, o Zé do Caixão. 

Mostra Play The Music - Homenagem a DJ Dolores
Cinema São Luiz

Rua da Aurora, 175
30  até 3/10
Ingressos: R$ 2,00

Confira a programação completa: